sábado, 13 de novembro de 2010

O Senhor dos Anéis

Estou procrastinando meu retorno ao blog há muito tempo. Claro que minha vida deu uma estressada básica, mas eu também perdi um pouco a força de vontade. Bom, vivo pedindo desculpas pelo sumiço e tal, não farei mais isso. =P

O que me motivou a voltar a este espaço foi o box com as versões estendidas de O Senhor dos Anéis. Há quase 7 anos eu esperava pela boa vontade da Warner em lançá-lo no país. E hoje, apenas hoje, me arrependi de não ter adquirido o box com as versões normais também, já que agora sou mais fã do que nunca e gostaria de ter ambos os formatos. Bom, finalmente a Warner tirou o atraso e eu pude conferir as cerca de 20 horas de documentários contidos nos seis DVD's de Apêndices. Ainda não revi os filmes. Já vi duas vezes a versão estendida, mas faz alguns anos da última e pretendo fazer uma grande maratona ainda este ano.

Mas estou aqui para explicar as razões pelas quais, agora principalmente, O Senhor dos Anéis é meu filme favorito. Tipo, o livro também é meu favorito, mas essa não é uma escolha fácil e vive sob risco. A série Harry Potter, por exemplo, batalhou forte e quase chegou lá. E volta e meia me deparo com livros espetaculares. Já o filme... após conhecer todo o processo por trás de sua realização, posso afirmar que, por mais que outros filmes me entusiasmem, me emocionem, me façam refletir... a trilogia de Peter Jackson é uma obra-prima tão perfeita que tenho minhas dúvidas se algum dia eu conseguirei ver outros longas com os mesmos olhos.

Deixe-me citar alguns fatos aleatórios sobre os extras:
- Se antes eu já tinha profunda admiração por Peter Jackson, hoje ele é um ídolo. E se tivesse uma filmografia mais consistente, poderia ser meu diretor favorito. Ele dedicou quase 10 anos à trilogia de Tolkien e podemos ver nos making-ofs o amor que sentia pelo que estava fazendo. Em nenhum instante, o vemos nervoso ou com falta de confiança. Ele parecia saber desde o princípio que daria certo. E deu. Parecia confiar em cada membro de sua imensa equipe. E valeu a pena.
- A equipe... não há como definir a união de cada time que passou 6 ou 7 anos trabalhando nos longas. O time de efeitos visuais, o time das miniaturas, o time do departamento de arte, o time dos efeitos sonoros, a equipe de dublês, a equipe de produção, o elenco, Howard Shore e o trio formado por Philippa Boyens, Fran Walsh e seu marido, Peter Jackson. Parecia uma grande família. E quanto mais Pete exigia deles, mais eles davam duro e se esforçavam com dedicação para fazer o melhor trabalho. E que trabalho. Enquanto James Cameron só quer saber de efeitos em Computação Gráfica e captura de movimentos (que, aliás, foi extremamente aperfeiçoada pelo Gollum), Pete adora maquetes, miniaturas, efeitos à moda antiga. Aliás, não havia regras para o que as equipes poderiam fazer. O importante era obter o melhor resultado. Para garantir a qualidade da arte dos filmes e a perfeita recriação da Terra-Média, PJ conseguiu contratar Alan Lee e John Howe, dois renomados ilustradores apaixonados pela obra de Tolkien, conhecidos por ilustrações para capas dos seus livros, mapas e publicações adicionais. Os dois conseguiram passar todo o seu conhecimento para a arte da Terra-Média. Enfim, a equipe foi tão feliz junta que o encerramento do trabalho foi doloroso, e parecia que, apesar do stress, todos queriam dar continuidade. Howard Shore, por exemplo, montou uma orquestra para fazer apresentações com músicas dos filmes, tamanho era seu desejo de permanecer nesse universo.
- O fabuloso elenco, que conta não só com ótimos atores, mas com pessoas divertidas, humanas, engajadas socialmente, verdadeiras lendas do cinema (no caso de Christopher Lee, claro, e, por que não, Ian McKellen), que se tornaram amigos durante o processo. Alguns não souberam aproveitar a fama. Sério, Elijah Wood poderia ter pego vários papéis importantes nos últimos anos. Outros já eram famosos. Alguns, como Orlando Bloom, ascenderam no ramo, como bem demonstra sua participação em outra trilogia, a dos Piratas do Caribe. Infelizmente, ele provou não ser muito bom ator, digo, para demonstrar emoções, etc. Mas acho que poderia ter uma boa carreira no cinema de ação e aventura. Aliás, teria dado um substituto muito melhor para Harrison Ford do que Shia LaBeouf. Mas eu creio que nenhum ator foi mais beneficiado do que Viggo Mortensen. Que ser humano excepcional! Junto com Peter Jackson, se tornou um novo ídolo para mim, após os documentários. Sua dedicação ao papel foi memorável. E ele se tornou uma espécie de amigo de todos nos sets de filmagem. Fez grande amizade com os dublês, aprendeu a manusear sua espada como nenhum outro, gerou tanta empatia com o cavalo que utilizou que ao final acabou comprando-o para si, e pude ver que é realmente uma pessoa fantástica. Aliás, elevarei-o a partir de hoje ao status de ator do qual quero conferir o máximo da filmografia, em um seleto grupo que até então contava apenas com Christina Ricci (minha atriz favorita há mais de 10 anos), Johnny Depp (meu ator favorito) e Natalie Portman. Enfim, desde a trilogia, Viggo vem pegando papéis intensos, dramáticos, e não me surpreenderei se eventualmente ganhar um Oscar de atuação.


Bom, não pretendo me alongar mais, pois não quero que as pessoas desistam ao ver o tamanho do post (como sempre acontece com meus posts de final de ano =PPP). Concluo sugerindo aos que gostaram dos filmes que assistam aos making-ofs sensacionais, que não se limitam a mostrar como os efeitos foram criados, mas exibem a paixão envolvida na criação da Terra-Média de Peter Jackson. E fico na torcida pelo sucesso dos filmes de O Hobbitt, a serem lançados em dezembro de 2012 e de 2013 e que contarão com o mesmo time vencedor de antes!

6 comentários:

alex marques disse...

Que bom ver voce de volta ao blog. Confesso que sinto muita falta da antiga "Na toca" se que era bem complicado manter o ritmo e no final acabou meio que um fardo. Gostaria que colocasse aumenos algumas indicações de leituras e filmes.

Bem sobre a trilogia de Peter Jackson é incrível como mesmo depois de algum tempo da sua exibição ainda há muito a ser acrescentado sobre este incrivel projeto.

Vi a trilogia umas 3 ou 4 vezes e sempre há algo novo para ser visto. Tomara que um dia eu tenha a oportunidade e disposição para ver as versões extendidas!

Fica com Deus Elvis.

Elvis "Wolvie" disse...

Vou tentar, Alex. =] Vou tentar. Não no jornalzinho, mas aqui no blog mesmo. Quem sabe? Ao menos um post rápido, né?

Mas sobre séries, está acompanhando Fringe? Uau, está perfeita a série!

Amanda disse...

Preciso ver esses extras! Yuri já vem falando há um bom tempo e agora você também.
Pretendo, em breve, passar um fim de semana inteiro sentada em um sofá vendo a triolgia (+ os extras) e comendo guloseimas. =D
Droga, por que vc tem q morar tão longe? -_-'

Animado com O Hobbit?

Bom ver você blogando novamente!

Elvis "Wolvie" disse...

Um final de semana definitivamente não dá pra ver a trilogia e os extras. =P A trilogia estendida tem cerca de 11h. E os extras cerca de 20h. =P A não ser que não faça objeções por dormir! Hahahaha!

Mas, nossa, tem alguns documentários excepcionais! Vale muito a pena!

Tou animadíssimo com O Hobbit, principalmente após Pete assumir a direção! \o/

Ah, espero me manter blogando mais ativamente. Devo escrever sobre Harry Potter. Dependendo da minha empolgação, imediatamente após a sessão! XD Veremos.

Djalma disse...

Acho q vc foi muito feliz em sua postagem. Espero ver todos os extras, tão logo seja possivel.
Sobre a sua analise dos atores, observei q Elijah Wood assumiu uma postura meio pseudo-intelectual depois desse filme, em filmes "independentes" e "de arte" (q de arte não tinham muita coisa). Eu o vi dando entrevista sobre aquele Sin City dizendo algumas coisas bem pretensiosas. Que pena! Concordo com Viggo. Sua parceria com Cronenberg lhe rendeu uma indicação ao Oscar por Os Senhores do Crime. Tem muito a demonstrar. Resta salientar Cate Blanchett (minha paixão), Sean Austin e Sean Bean (sumidos, uma infelicidade). Iam McKellen é um ícone ao lado de Hopkins e Jeremy Irons... E a trilha de Shore ate hoje escuto no meu carro... Enfim, a eternidade recebeu mais um filme: O Senhor dos Anéis! Valeu, Lobo!

Elvis "Wolvie" disse...

Sean Astin está realmente sumido, mas Bean poderá ser visto em A Guerra dos Tronos, nova e promissora série da HBO que deve estrear em março.

E sim, falei pouco de Cate Blanchett, que também adoro! Aliás, eu acho o trabalho vocal dela praticamente perfeito. A Katherine Hepburn dela em O Aviador é impressionante!