terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Livro, série e show

As Memórias do Livro

Fui extremamente felizardo no amigo secreto/oculto de final de ano da empresa. Tirei um colega da mesma equipe que tinha gritado aos ventos que precisava de camisetas, então observei bem o gosto pessoal do mesmo e dei-lhe uma camiseta um pouco acima da faixa estipulada, mas muito ligeiramente, e é um bom colega. Claro que eu sabia que corria o risco de ser tirado por algum desconhecido e ganhar algo péssimo. Para a minha sorte, outra colega de equipe (que senta ao meu lado) me sorteou! Me deu três chocolatinhos fabulosos da Kopenhagen e um belo livro, que comecei a devorar no mesmo dia. Chama-se As Memórias do Livro, e foi escrito pela australiana Geraldine Brooks, ex-repórter e vencedora de um pullitzer por seu livro anterior.
O livro conta a história de Hanna Heath, uma restauradora (ou conservadora, como ela prefere) de livros que é escolhida pela ONU para estudar e restaurar um antigo manuscrito judaico recém-encontrado. O manuscrito é uma Hagadá, um texto utilizado pelos judeus na época do Pesach (a páscoa). A história é baseada na verídica Hagadá de Sarajevo, desaparecida em meio a inúmeras guerras que a Bósnia atravessou e reencontrada há alguns anos. A autora pôde ver de perto o manuscrito e algumas das imagens descritas realmente pertencem à obra. Todavia, a maior parte do fundo histórico é ficcional.
Hanna se propõe a descobrir as origens do livro e a sua história, de acordo com evidências encontradas, em um trabalho que se assemelha ao de um perito das inteligências policiais. A partir de uma asa de mariposa, uma mancha vermelha, um resíduo de sal, um fio branco e um detalhe estranho sobre os fechos, Hanna começa a reconstruir os passos realizados por tão importante documento. A narrativa ocasionalmente interrompe as investigações de Hanna para narrar trechos dos fatos ocorridos em inúmeras épocas, todos relacionados à sobrevivência da Hagadá.
Excelente obra, um dos melhores livros do ano, sem dúvidas. Recomendo!




Dexter

Acabo de assistir ao último episódio da terceira temporada de Dexter. Fui reticente inicialmente em assistir a uma série cujo protagonista era um serial killer. Mas tantos amigos me elogiaram que resolvi tentar. Assisti às duas primeiras temporadas ainda esse ano, um episódio atrás do outro, vorazmente buscando o final. As tramas são inteligentíssimas, os personagens muito bem caracterizados (destaque especial para o próprio Dexter, sua irmã Debra e o responsável policial Angel Batista) e o sentimento de urgência percorre as temporadas de uma ponta a outra.
Esta terceira temporada não é a melhor das três. Mas variou sutilmente o tema e evoluíu a história do serial killer a pontos antes não cogitados. E concluíu espetacularmente, como de costume. Dexter é um serial killer, mas porque precisa ser. Mata apenas assassinos que permanecem em liberdade, e possui um código de honra rigoroso, que o impede de machucar inocentes. É uma série excelente, com tramas muito bem delineadas e focada sobretudo nas relações entre os personagens.
Tem algumas cenas fortes, mas a maior parte fica sub-entendida. Série extremamente original, não é possível compará-la com muitas outras.




Madonna

Sábado estarei no Morumbi em São Paulo prestigiando o show da Sticky & Sweet Tour da Madonna. Uau! Eu, num show da Madonna! Uau! Acho que minha ficha só vai cair quando ela aparecer no palco, de cartola e bengala, no trono que marca a apresentação inicial.
Viajo quinta à noite para Sampa e volto na segunda à noite. Depois de voltar terei dois posts para fazer: um sobre o show, e outro sobre os passeios na verdadeira Cidade Maravilhosa (desculpe, Denise, e outros eventuais cariocas de passagem pelo blog, hehehehe, mas eu amo São Paulo).

4 comentários:

Denise do Egito disse...

Elvis,

Ao ler o texto sobre o livro, me pareceu na mesma hora que daria um belo filme.. Me lembrou O Código Da Vinci.
Depois me conta o que achou do show.
Beijocas

alex marques disse...

Hii faz tempo que não leio um livro.. tem uns tres ou quatro meses.. tô lendo muito quadrinho ultimamente...

Sobre Dexter com certeza muito bom... concordo quando voce diz que esta temporada não foi a melhor.. diigo mais, foi a "menos boa" mas tá a anos-luz de muitos outros.. Exelente!

Madonna.. show de bola.. até hoje penso no show do U2 que quase fui com a cara e a coragem, muito bom U2, mas Madonna é Madonna e vice-versa! Até mais meu caro e um ótimo Show!

Lucas Altamar disse...

Tenha um bom Show, e sobre o livro, parece bom mesmo.

abraços.

alex marques disse...

Aguardando ansioso o tópico sobre o show!!!