sábado, 24 de janeiro de 2009

Oscar 2009

Bem, passado o Globo de Ouro, é hora de focar meus esforços em mais uma maratona de filmes para o Oscar. Ano passado consegui assistir quase todos os indicados, com exceção de documentários, curta metragens e estrangeiros. Minha meta para esse ano é ver todos os indicados nas principais categorias, e também na de filmes estrangeiros. Talvez eu assista os curtas também, pois são fáceis de achar pra ver online, e aí faltarão apenas os documentários. Vamos ver.
Conforme eu for assistindo, vou comentando por aqui. Então, até 22 de fevereiro, deveremos continuar na linha de posts cinematográficos, ok? Abaixo alguns comentários sobre os filmes vistos até agora. Já falei aqui sobre Quem Quer Ser Um Milionário? (Slumdog Millionaire), Vicky Cristina Barcelona, Simplesmente Feliz, Wall-E, Bolt, Batman - O Cavaleiro das Trevas, A Duquesa e Homem de Ferro.


O Procurado


Bem, é um filme divertido, com ótimas cenas de ação, e melhor do que a história em quadrinhos do Mark Millar na qual foi inspirado. Gosto muito do James McAvoy e acho que ele está perfeito no papel principal. Morgan Freeman não decepciona, mas também não acrescenta muito à história, e seu personagem poderia ser interpretado por muitos outros atores sem mudar nada. Claro, o destaque do filme vai para a estonteante Angelina Jolie. Eu admito que ela não é tããããão bonita assim, que não é a mulher mais bonita do mundo. Nem de perto. Mas a sensualidade que ela transmite... acho que nenhuma outra famosa consegue igualar. Claro, é importante ressaltar que ela faz isso quando deseja (veja mais no comentário sobre A Troca), mas seus movimentos graciosos, mesmo quando está fazendo filmes de ação, a tornaram uma das mulheres mais cobiçadas do mundo. Bom, O Procurado é um filme muito mentiroso, mas é um entretenimento bem agradável.
4 estrelas em 5


Kung Fu Panda


A premissa é interessante, mas é mais um daqueles filmes de animação em que os protagonistas são dublados por atores famosos, na versão original e na nacional, o que prejudica muito a obra. Ser ator e ser dublador são artes distintas, embora relacionadas. Peço permissão para comparar um ator dublando com um peruano dando aulas de espanhol no Brasil. Ele domina o idioma, mas não tem as técnicas de didática necessárias a um professor. Da mesma maneira, atores dominam o controle de suas vozes, mas não conhecem técnicas específicas da dublagem.
Bom, mas dublagens à parte, o filme é divertido, consegue fazer rir em alguns momentos, mas sua história não realmente empolga. As cenas de batalha são legais, mas muito aquém das obras-primas de artes marciais chinesas, como o inigualável O Tigre e O Dragão. Com animação, valeria a pena ter feito lutas ainda mais espetaculares. Importante citar que a Angelina Jolie dubla uma das personagens (a Tigresa).
3 estrelas em 5


A Troca


E eis que mais um filme com a Angelina Jolie! Três dos cinco comentados neste post! =O
Adianto que A Troca é o melhor filme do post.
Conta a história verídica de uma mãe (Christine Collins, interpretada por Jolie) cujo filho desaparece, no final dos anos 20 nos Estados Unidos. A polícia encontra uma criança, mas Christine afirma que não é a dela, e sua luta mobiliza o auxílio de um pastor (John Malkovich), desejoso em provar os erros cometidos pela polícia de Los Angeles.
Tocante narrativa, na qual ficamos todos angustiados para encontrar o filho da sra. Collins e nossa apreensão cresce com a dela. Seguindo um roteiro bem amarrado, o filme dirigido por Clint Eastwood conta com uma ótima reconstituição da época (incluindo os figurinos - reparem nas mudanças de roupas e cabelos quando se passam alguns anos - e os cenários), um elenco de apoio mediano, e uma interpretação fabulosa de Angelina, que mostra que tem talento tanto para ação como para drama. Se no ano anterior a Academia esqueceu dela em O Preço da Coragem (que não vi), este ano compensaram com a indicação por este filme. Em obras como Gia (pela qual ganhou um Globo de Ouro de melhor atriz) e Garota, Interrompida (pela qual ganhou o Oscar de melhor atriz coadjuvante), a senhora Pitt já tinha provado seu talento, mas agora volta aos holofotes. Sua atuação é comum para dramas, mas não menos espetacular. E se em O Procurado, ela exibe um dom especial para a sedução, aqui aparece magra e séria, sem espaços para sua sensualidade.
Curiosidade: fiz as contas e percebi que já assisti 15 filmes com Angie! Que marca! =O
5 estrelas em 5


O Lutador


Acabo de ver este filme do ótimo e original diretor Darren Aronofsky (do excelente Réquiem para Um Sonho), sobre um lutador famoso dos anos 80 que está velho e acabado pela idade, mas que não sabe fazer outra coisa além de lutar e sonha em voltar a fazer sucesso. Trazendo um Mickey Rourke de volta à forma (atuando muuuuito bem, mas nada tão espetacular, acho exagerado o estardalhaço que estão fazendo) no papel principal, uma ousada Marisa Tomei, muito bem como uma stripper (ambos indicados ao Oscar) e a belíssima Evan Rachel Wood em uma participação não muito grande. Conta ainda com a música The Wrestler, do adorado pelos americanos Bruce Springsteen, que é realmente belíssima e foi completamente ignorada pela Academia, apesar de ter vencido o Globo de Ouro, e de apenas 3 canções terem sido escolhidas esse ano (um mistério insolúvel). O filme é bom, e realmente entristece ver a condição do lutador Randy Ram, mas está anos-luz aquém de outros trabalhos de Aronofsky. De qualquer forma, é bom vê-lo experimentando.
Curiosidade: o vocalista do Guns'n'Roses, Axl Rose, deu alguns incentivo$ para o filme e ganhou músicas na trilha sonora e um agradecimento da equipe nos créditos. Mas o mais interessante é que dá para fazer um comparativo entre Randy e Axl, ambos ídolos dos anos 80 que engordaram e estão tentando (na marra) fazer algum sucesso novamente. =P
3 estrelas em 5


O Curioso Caso de Benjamin Button


Este era um filme que, desde o anúncio, me parecia muito promissor. Dirigido pelo brilhante David Fincher (de Se7en e Zodíaco, mas que pra mim bastou ter dirigido O Clube da Luta para permanecer pra sempre no meu hall da fama), estrelado pelo ora talentoso Brad Pitt (em dois dos filmes citados no parênteses anterior ele está ótimo) e pela talentosíssima Cate Blanchett (para mim, a melhor intérprete vocal do cinema. Seu trabalho com sotaques e idiomas é fascinante - vide Elizabeth, O Aviador ou mesmo A Sociedade do Anel, só para citar alguns exemplos, sem comentar seu espetacular desempenho em Não Estou Lá) e ainda contando com uma história muito criativa (inspirada em conto de F. Scott Fitzgerald). Tudo para ser uma obra-prima.
Mas... não é. Antes mesmo de assistir, soube que o Pablo Villaça não tinha gostado muito. Claro que isso não me impede de gostar (e já ocorreu algumas vezes), mas me fez ligar o desconfiômetro. O elenco está bem (embora nada espetacular), a história tem bons momentos (apesar das semelhanças com Forrest Gump, ambos do mesmo roteirista), a direção faz o que pode, e... o filme não empolga! =/ Não sei porque, mas falta emoção à obra. Além disso, conta com alguns erros de continuidade facilmente detectáveis, mas eu teria feito vista grossa para eles se a história fosse vibrante. Há um romance que tem tudo para ser lindo, e não me fez torcer para que ele desse certo, muito menos me emocionou. De qualquer forma, é deveras criativo e vale assistir.
Curiosidade: eis que não é só com a esposa que vi muitos filmes, assisti nada menos que 14 obras com o Brad Pitt (e é bom frisar que jamais vi os batidos Os 12 Macacos e Sete Lendas no Tibet). E também vi 13 com a Cate Blanchett! =O
3 estrelas em 5




Para encerrar o post, deixo-os com um vídeo de uma apresentação ao vivo do duo sueco Roxette. A música é Church of Your Heart, uma de minhas favoritas, e a apresentação é de 2001, creio eu.



Há um fato curioso sobre Roxette: a Marie sempre pareceu a mais talentosa, com uma bela e poderosa voz. Contudo, hoje eu encaro Per Gessle como o grande responsável pelo sucesso da dupla. Com um talento especial como compositor, criou grandes hinos da música pop. E sua voz tem algo especial, original. Pra completar, a Marie perdeu bastante do seu potencial vocal com a idade (e com o câncer que teve), enquanto o Per parece o mesmo!

9 comentários:

alex marques disse...

Olá grande Elvis,

Dos filmes citados no post só vi "Quem quer ser um milionario"(indicação sua) e Kung Fu panda.

Como comentei no post anterior, gostei muito do filme do Danny Boyle. Quanto a animação, como você comentou, não chega a empolgar, e olha que vi o filme no cinema.

Nos próximos dias verei "O proccurado".

Até mais.

alex marques disse...

Vi "O procurado" ontem, gostei muito do filme, lembra muito os tempos aureos de Matrix. Há tempos não via um filme de ação com tantos elementos novos, mentiroso sim, mas muito criativo!

Elvis "Wolvie" disse...

Pois é, vale a pena ver O Procurado, não vale? Diversão garantida! =D E Angelina, ai ai ai! XD

Spring.Rain disse...

Ai, quantos posts, quantas novidades, quantas fotos! Vou precisar de um tempo para me atualizar no seu blog. Vou comentar agora para garantir o post, pois não sei até quando a minha internet vai permitir que eu navegue. Se eu conseguir, comento quando acabar de ler tudo.

Ei, tem um Per e uma Marie ali embaixo! Quando você vai postar um vídeo do Mika? ;D

Beijo!

Spring.Rain disse...

Pois é. Desta vez, a minha internet me deixou ler o que eu não havia lido, reler o que eu já havia lido e... Comentar! \o/

Sobre O Procurado:
James McAvoy entrou para o meu time de atores favoritos depois desse filme.
E Angelina Jolie... Coitada, tão magra que dá até pena. Ela precisa de muito arroz e feijão pra ficar bonita! =P Ponha Angelina ao lado da Anne Hathaway e você vai ver a diferença...
O filme é divertidíssimo - se você ignorar a parte do "Tear do Destino".

Sobre Kung Fu Panda:
Não tãããão maravilhoso, mas vale a pena se divertir com alguns personagens, principalmente o pai do Panda (na dublagem original).

Sobre A Troca e Bejnamin Burton:
Ainda não vi, mas estou apostando bastante nesses dois filmes.

Sobre Roxette:
Per é o cara! Gosto da Marie, mas pra mim ela é substituível. Per Gessle, além de cantor e compositor talentoso, sem dúvida é o mais carismático dos dois.

Beijo!

Esmeralda disse...

Elviss, passando aqui rapidinhoo =)
Pra deixar uma marquinha pra ti. ^^

Não costumo ver. Mas muito legal o post sobre o Oscar.

Mas rapaz.. A noiva de Rodolfo é a cara de Angelina Jolie, incrível!!!
Pelo menos nessa foto que está aqui. *Rs* Num é? Sabe aquela foto dela?
Bem sexy! :)

Beijos! Muita Luz pra todos nós!

Elvis "Wolvie" disse...

Realmente, Esmeralda! =O
Agora que você comentou, Julie lembra um pouco Angie sim! o.O Que coisa! Comentarei com ela, hehehehe.

Obrigado pela visitaaa! =D

Gilvan disse...

Ano passado não deu (faltou pouquinho), mas acho que em 2009 vc consegue ver tudo antes do Oscar, hein, xará? Será que vc acerta uns 70-90% dos palpites para a premiação desse ano? Vamos ver! =D Acho que não vou participar do bolão desta vez (a não ser que eu veja uma boa parte dos concorrentes antes), mas quero ver vc derrotar o Villaça. Hehehehe...

Vamos aos filmes do post...
Dentre os citados o único que não cheguei a ver até o presente momento é "A Troca" (ainda não tenho uma previsão de quando irei assistir).

O Procurado é show de bola... mentiroso até a medula, mas divertido pacas. McAvoy ficou muito bacana como o (anti)herói, Angelina estava ótima também, Morgan Freeman não comprometeu mesmo estando no "piloto automático" e o diretor Timur Bekmabentov (será q é assim que se escreve o nome desse camarada?) acertou a mão com os exageros na construção das cenas de ação, criando assim um entretenimento de primeira assumidamente moldado em uma avalanche de absurdos visuais. O que é que o fã de um bom cine-pipoca poderia querer mais? O enredo poderia ser um pouquinho melhor (Tear do Destino? Cof, cof...), mas... quem se importa? =PPPP

Antes de falar sobre o próximo filme, me tire uma pequena dúvida:
quando vc diz que viu uma quantidade X de filmes com determinado ator/atriz, as animações fazem parte da conta? Exemplo: Johnny Depp em "A Noiva Cadáver", Robert De Niro em "O Espanta Tubarões", Cameron Diaz em "Shrek" e por aí vai? Só por curiosidade mesmo. Nunca me decidi ao certo se incluo animações nas minhas listagens, até porque se vc assiste ao negócio dublado acaba não pegando nada da voz original. Então é mesmo que nada.

Ah... e antes que eu me esqueça... de onde tu tirasse este "Sete Lendas no Tibet"? O título correto é Sete Anos no Tibet (Seven Years in Tibet), ok?

Falando agora do novo filme do Brad Pitt...
O Curioso Caso de Benjamin Button é, na minha opinião, um ótimo filme. É bem verdade que tem alguns tropeços aqui e acolá (não sei pra quê por exemplo aquele moído com o furacão Katrina, totalmente dispensável aquilo... outra coisa que me incomodou um bocado foi a descrição do atropelamento de Daisy, que apesar de bem explicada, parte de um pressuposto bastante problemático, entre outras derrapadas), mas o fato é que mesmo com seus inchados 166 minutos de projeção o longa nunca deixou de atrair meu interesse um minuto sequer. E considero isso como sendo um grande mérito tanto por parte do cineasta, quanto do roteiro (mesmo com algumas incongruencias gritantes, reconheço), e é claro, do bom elenco (nada espetacular em termos de interpretação, mas dando conta do recado). Fiquei satisfeito com o resultado final. O romance dos personagens de Pitt/Blanchett não teve um desfecho dos mais felizes, mas nem por isso o longa perdeu em emoção... na verdade, acho até mesmo que apesar da natureza trágica da vida de Benjamin com relação à sua amada, eu não gostaria que o filme terminasse de outra forma. Foi triste, mas de um beleza bastante poética. Eu pelo menos enxerguei deste modo. Achei muito tocante aquele último momento entre Benjamin e Daisy.

Também acho um tanto irrelevante reclamar da grande quantidade de elementos "chupados" de Forrest Gump, uma vez que o roteirista é o mesmo. Aí eu te pergunto: que mal tem se o cara está plagiando a si próprio? O negócio funciona (e se aquele outro sujeito chegou a ser atingido por um raio em sete ocasiões, bem... use a imaginação XD). São artifícios que estão servindo a uma outra estória, de modo que não vejo problema nenhum quanto a isso (até porque Forrest Gump foi feito há uns 15 anos atrás). Há quem diga que OCCdBB é um longa que vem sendo superestimado e tal, que existem filmes melhores para ocupar sua vaga entre os 5 indicados ao Oscar e blá, blá, blá... ok, eu não discordo... agora dizer que este é um filme apenas meia-boca eu não acho lá muito justo. Mas essa é só a minha visão. Se bem que pode até ser uma produção mediana em se tratando de David Fincher, no entanto, mesmo com alguns deslizes narrativos ainda acredito que este novo experimento do diretor acabou sendo muitíssimo válido. Entre erros e acertos eu ainda acho que saiu um filmaço.

Ih, caramba... o comentário já está enorme, neh? Vou finalizar rapidinho então, ok?

Gostei de Kung Fu Panda, não chega a ser uma maravilha mas é bacaninha.
E o Aronofsky acertou mais uma, hein? O Lutador está longe de ser seu melhor filme, mas ainda assim é uma produção admirável. Intimista, sensível, correta nos aspectos técnicos/narrativos e com boas atuações (e quem diria que o Mickey Rourke iria ressurgir como uma boa promessa, hein?), além de outros méritos. O que será que o Darren planeja fazer com Robocop, hein? Acho um projeto meio perigoso, mas o cara continua surpreendendo.

No que se refere ao Roxette... gosto bastante de ambos, não tem jeito. Reconheço de longa data a importância do Per no que diz respeito a criação das canções (letra e música) da dupla (é quase tudo de autoria dele, parece até o tanto de créditos para Lennon & McCartney em se tratando de Beatles, só pra exemplificar) e seu talento vocal, mas simplesmente não consigo imaginá-lo sem a Marie. E vice-versa.

Ufa... agora acabei! Fui!

Elvis "Wolvie" disse...

Pois é, Gilvan, chegarei mais perto de ver todos os indicados ao Oscar esse ano. Se tudo correr como espero, ficarei sem ver três dos indicados ao estrangeiro, pois não estou achando para download (achei Valsa com Bashir, de Israel, e Revanche, da Áustria), os documentários e os curtas. Os demais verei sim, a não ser que ocorra algum imprevisto. =D

Mas acertar? >___< Não lembra que ano passado vi quase tudo e não acertei quase nada? =PPP Sou melhor no chute do que no voto consciente, acho. =PPP
Mas veremos. E você devia participar de qualquer forma, continua ganhando ano após ano, hehehe (só ganhei em 2004, quando O Retorno do Rei papou os 11, aliás acertei 17 dos 24 naquele ano memorável).

Concordo com seus comentários sobre O Procurado. Eu incluo as animações sim, mas nunca tinha pensado nas dublagens. =O Bem, eu vi aquele filme da filmografia do ator. Posso até não tê-lo ouvido, mas vi aquele item de sua filmografia. Com minha querida Chris Ricci, só há uma dublagem, pelo que lembro. Lembra daquele filme Pequenos Guerreiros, um que os bonecos ganharam vida e tal? Pois então, ela dublava os gritos das Barbies! XD E eu conto na filmografia, claro. Aliás, lembro que aluguei o VHS para ouvir a voz dela no original. =PPP

Hahahaha, e foi muito engraçada a minha confusão com o título do filme do Brad Pitt! Hahahaha! Você sabe, o número 7, a palavra Lenda, me lembrou de outra coisa! XD

Sobre Benjamin Button, o filme prendeu a minha atenção, mas não me despertou emocionalmente. Acompanhei a história atento, mas como um espectador. Em nenhum momento eu torci para que, de alguma forma, o romance dos protagonistas desse certo! Eu acho que a idéia é admirável, e a proposta de discussão sobre poder ter experiência com um corpo jovem pode render muito pano pra manga. Mas... faltou algo na execução. Tudo é bem feito, só faltou emoção. Fora a descrição mentirosa do atropelamento (mais adequada a um narrador em Off que a um personagem), há o espanto da filha ao saber que a mãe fazia balé, que foi ridículo tendo em vista que mais tarde na história percebemos que não havia como ela não saber. =P Então, acabarei discordando do status de "filmaço" que você atribuiu. É apenas muito bom.

Tou morrendo de medo de Kung Fu Panda ganhar o Oscar de melhor animação. >___< A animação fez o rapa no Annie, que é o prêmio especializado da área. Derrotou Bolt, Wall-E e até Valsa com Bashir (que, curioso, poderia estar concorrendo em categorias tão díspares como Documentário, Animação e Estrangeiro - sendo esta última a única pela qual foi realmente indicado).

O Lutador é mesmo bacana, e Aronofsky é muito talentoso. Mas estou curioso pelo Robocop. =O

Vi dois filmes excelentes nos últimos dias, comentários sobre eles em breve, hehehe. =D