sexta-feira, 24 de junho de 2011

Férias - Parte I: Florianópolis

Hello, pessoal! Finalmente pude fazer uma viagem de férias decente! Minha amiga Mari Sathie me acompanhou numa louca aventura por Florianópolis, Blumenau, Porto Alegre e Serra Gaúcha. Claro que "louca" não se aplica muito a uma viagem planejada por mim, já que gosto de esquematizar o máximo possível de antemão. De toda forma, como foi uma viagem de 20 dias eu deixei várias brechas e preferi ir montando a programação aos poucos. Ou melhor, eu e a Mari tínhamos selecionado o que queríamos conhecer de cada lugar e na véspera apenas encaixávamos os itens em uma agenda viável para o dia seguinte. Claro que encontramos alguns problemas, mas foram pequenos em comparado com os pontos positivos do passeio. Vou fazer alguns posts sobre a viagem e esse é o primeiro. Minha ideia aqui é resumir os pontos positivos e os negativos de cada destino, dar sugestões de passeios e gastronomia e mostrar algumas fotos (cliquem para ampliar). A Mari ainda me deve as fotos da câmera dela e isso vai prejudicar um pouco os posts, que poderão ser atualizados depois.

Hospedagem - Pousada Colinas da Lagoa

Pontos positivos:
- Localização privilegiada no Centrinho da Lagoa, uma região relativamente próxima tanto do centro como de algumas praias e bem servida de restaurantes e bares;
- Quarto espaçoso, com camas confortáveis, tv LCD e até geladeira, fogão e pia.


Pousada Colinas da Lagoa

Pontos negativos:
- Falta de aquecedor no quarto (fez bastante frio nos dias que passamos em Floripa, então tivemos que dormir agasalhados e com cobertores);
- Café da manhã mediano (não é ruim, mas a variedade é pouca).
Observações: se eu voltar à Floripa, pretendo me hospedar na Colinas da Lagoa novamente, acho que a localização acaba fazendo valer a pena. E a pousada é aconchegante, apesar dos pontos negativos.

Cidade

É verdade o que dizem: Floripa funciona no verão e descansa o resto do ano. Acho que ir no ápice da alta temporada não é uma boa, pois a população da cidade dobra e o trânsito se torna insuportável, mas nos meses de outubro e novembro, talvez em março também, o clima é agradável e deve ser possível curtir melhor os atrativos naturais da ilha.

Pontos positivos:
- O principal pra mim é o relevo. Já do avião fiquei impressionado. Eu imaginava uma ilha plana com várias praias e uma grande lagoa no meio. Mas a capital de Santa Catarina conta com inúmeros morros que, diferente dos cariocas, não possuem favelas, mas sim vegetação. Para chegar no Centrinho da Lagoa, descemos uma estrada estreita e extremamente inclinada, um percurso que permite vislumbrar um cartão postal da Lagoa da Conceição. O mapa abaixo passa uma noção da geografia privilegiada do lugar: praia para todos os lados. A cidade existe praticamente no Centro e nas regiões ao redor dos nomes de praias e das vias verde-escuro. Todo o restante da área verde-claro é vegetação nativa;

Mapa de Florianópolis

- As praias. Dizem que há praia para todos os gostos, ou seja, com ondas fortes para surf, ondas médias, sem ondas, etc. Nós visitamos apenas a praia da Joaquina, pois era a mais próxima de nossa localização (estávamos mais ou menos no pontinho que marca "Lagoa da Conceição") e fazia muito frio para arriscar um banho;
- Os frutos do mar, para quem aprecia, o que não é exatamente o meu caso (nem o da Mari). Chegamos a provar ostras, que eu nunca tinha experimentado. Não tive coragem de pedir a crua, apenas a gratinada, mas até que não foi ruim como eu esperava. Mas todos recomendam as sequências de camarão. Então, quem gostar, aproveite;
- Segurança: Florianópolis me pareceu um lugar muito tranquilo, exceto, claro, na região mais central. Mas até andamos de ônibus perto da meia-noite e fomos a pé do terminal para a pousada, sem medo algum;
- A variedade de bares e restaurantes: mais sobre isso na seção de gastronomia.

Pontos negativos:
- Limitada às praias. Essa é a grande verdade. Claro, há boa culinária, mas a cidade não tem grandes atrativos culturais. Então não sugiro a visitação durante o frio. Minha dica é mesmo ir em outubro, para esticar até Blumenau e aproveitar a Oktoberfest (especialmente pros quem curtirem cerveja, mas parece ser uma festa divertida para todos);
- Há passeios de escuna ao redor da ilha, para conhecer fortes históricos e o litoral como um todo. Imagino que seja bem agradável, mas graças à baixa temporada, não conseguimos fazer um passeio. Há uma grande redução e no dia que ligamos para agendar, não ia haver o principal, só um secundário, pro qual não daria mais tempo de chegar. Então, baixa temporada nunca mais;
- O relevo da ilha. Sim, o mesmo que a torna uma das mais belas cidades que já visitei, a transforma em um lugar muito complicado de viver. Os morros e as matas impedem a construção de rodovias mais diretas, então tudo é longe e a malha de transporte rodoviário é deficiente (embora conte com terminais de integração organizados e agradáveis). Quero com isso dizer que: ou os visitantes se hospedam diretamente em uma praia e ficam curtindo apenas aquele lugar; ou alugam um carro. Perdemos o passeio de escuna porque o ônibus para o local passava de hora em hora e levava uma hora e meia para chegar lá, já que não há muitas opções de trajeto e ele precisa dar mais voltas do que deveria para pegar mais passageiros. De carro, chegaríamos em 45 minutos, provavelmente.

Pontos Turísticos

Recomendo:
- Praça XV de Novembro, onde há uma figueira centenária e colossal! Não consegui fotografá-la adequadamente, mas baixei a foto abaixo do Google para tentar ilustrar as dimensões da árvore;

Figueira da Praça XV de Novembro

- Casa da Alfândega. A lojinha de artesanato é muito variada e os preços são agradáveis. Comprei muitas lembrancinhas bonitas por preço reduzido;
- Centrinho da Lagoa. Caso se hospede em outra região, não deixe de ir ao Centrinho da Lagoa, para apreciar a vista da descida ladeirosa e conhecer os bares e cafés;
- Pôr-do-sol no continente. O lugar mais interessante me pareceu a Av. Beiramar Norte. É possível fotografar a histórica Ponte Hercílio Luz e o belíssimo pôr-do-sol em uma avenida extremamente agradável, para mim mais interessante que a Av. Boa Viagem de Recife, por exemplo, seja para caminhar após o expediente ou visitar um dos restaurantes convidativos;

Pôr-do-sol com o continente ao fundo, foto tirada de um banquinho na Av. Beiramar Norte

- Shoppings: visitamos o Iguatemi e o Beiramar e são ambos agradáveis. Claro, ir a Floripa pra ver shopping, ninguém merece! =P Mas pode ser uma opção em caso de dia chuvoso e sem praia. Esses dois citados possuem acesso relativamente fácil.

Não vale o esforço:
- Mercado Municipal. What? Fui esperando o Mercado Municipal de São Paulo e encontrei um camelódromo + feira de peixe + bares. Visitamos o Box 32 para comer ostras, mas é melhor ir na praia mesmo. Por outro lado, é vizinho da Casa da Alfândega e muito próximo da figueira, então vale passar no meio. E só;
- Catedral: novamente, fica ao lado da Praça XV de Novembro, então vale entrar pra ver, mas não é especialmente bonita, só comum. Não conseguimos visitar os museus da Casa Rosada e Victor Meirelles, por problema de horário. São próximos da região também. O primeiro parece interessante, por mostrar a história da região.

Gastronomia

- Guacamole: restaurante mexicano na Av. Beiramar Norte que merece uma visita. Funciona apenas à noite e é meio bar, meio restaurante. Não pudemos provar tudo, mas recomendo fortemente as enchilladas, as melhores que já provei! A Mari recomenda os drinks. =P Às 21h, começa o show dos Mariachis e é super empolgante! Eles visitam mesa a mesa e cantam conforme pedido dos presentes. Também tem uma tequileira divertida e que ficou tentando me convencer a beber uma dose. Coitada... =P Foi um dos melhores passeios da cidade, então não deixem de conhecer;

Hola, muchachos!

- Cafés da Lagoa: não sei se esses cafés terão a mesma graça na época mais quente, mas no frio eram uma delícia. Conhecemos dois, ambos com música ao vivo e quitutes saborosos;
- Box 32: não é fundamental, mas se quiser aproveitar o passeio pelo centro para conhecê-lo, não dará viagem perdida. Os preços são salgados, mas tudo que provamos estava gostoso: bolinho de bacalhau, escondidinho de bacalhau e ostras gratinadas.


Mais algumas fotos:


 Foto do avião exibindo o relevo da ilha


MC Elvis na Lagoa da Conceição

Lagoa da Conceição

O outro lado da Lagoa da Conceição

Morros de vegetação na saída do Centrinho da Lagoa - foto tirada da janela do ônibus

Vista da subida para sair do Centrinho da Lagoa - foto tirada da janela do ônibus

Casa Rosada - Palácio Cruz e Souza - à esquerda fica a Praça XV de Novembro, a foto foi tirada da frente da Catedral

Fachada do Box 32

Ostras gratinadas

Ponte Hercílio Luz

Com os Mariachis no Guacamole

Na deserta e gélida Praia da Joaquina =P

5 comentários:

Esmeralda disse...

Querido ELVIS, Vibrei com suas férias! Mais que merecidas, hem? Me diverti acompanhando o que pude!
Um forte abraço,
Paulinha

Elvis "Wolvie" disse...

Pois é, adorei essas férias! Obrigado pelo apoio! =]

Denise do Egito disse...

Não li pois estou sem condições físicas, mas vi as boas fotos. Eu abracei a figueira, vc fez isso? Diz quem quem abraça, volta à cidade. E eu nem acredito em superstição. hehe

Um beijo

Amanda disse...

Cheguei!

Desculpe o atraso. Fiquei alguns dias quase sem usar internet... =P

Foi muito cruel ver a foto das ostras gratinadas bem perto da hora do almoço. Eu teria me esbaldado nos frutos do mar. TODOS!

Eu também teria me divertido à beça com os Mariachis.

Foi muito bom ver você se divertindo nessa viagem. Você sente que voltou diferente?

:*

Elvis "Wolvie" disse...

Denise,

Não sei se estou enganado, mas me parecem que construíram uma cerquinha ao redor da figueira, tornando impossível abraçá-la. =/


Amanda,

Não sei se voltei diferente, o que sei é que as férias foram curtas, hahahaha! =D