domingo, 11 de setembro de 2011

Férias - Parte IV: Serra Gaúcha

Em Porto Alegre alugamos um carro e seguimos viagem pela Serra Gaúcha. Passamos cerca de 9 dias na região e conhecemos as cidades de Nova Petrópolis, Gramado, Canela, Bento Gonçalves, Farroupilha, Carlos Barbosa, Garibaldi e Caxias do Sul, fora Novo Hamburgo, que fica no caminho entre Porto Alegre e a Serra. Todas são muito próximas, então andamos bastante entre elas. Infelizmente, há pedágios entre Nova Petrópolis e Gramado, entre Nova Petrópolis e Caxias do Sul e entre Caxias do Sul e Farroupilha. Então gastamos mais de 100 reais com essas taxas. Ao menos as estradas são bem sinalizadas, apesar de muito curvas e estreitas

 
Hospedagem - Pousada Vila Rica

Pontos positivos:
- Localização privilegiada: Nova Petrópolis fica mais ou menos no centro da Serra Gaúcha. Metade dos programas são em Gramado/Canela e a outra metade em Caxias do Sul/Bento Gonçalves/Farroupilha/Carlos Barbosa/Garibaldi. Cada grupo desses fica pra um lado de Nova Petrópolis. Para quem está de carro e vai passar mais do que 5 dias, é uma boa opção. Se for passar menos de 5 dias na Serra, é melhor se hospedar em Gramado/Canela e sair de lá apenas para o passeio de trem de Bento Gonçalves, aproveitando o dia para conhecer outras coisas na região;
- Conforto: camas macias, lençóis limpinhos, chuveiro quentinho, banheiro agradável, quarto espaçoso, serviço excelente;
- Café da manhã: boa parte do peso que ganhei na viagem se deve ao café da manhã espetacular dessa pousada acolhedora. Pães, tortas, geleias... Cada dia eu acordava ansioso para ver o que a gentil senhora que cuidava da refeição teria preparado de diferente. A Mari nunca mais vai esquecer a torta de limão, hahaha. Enfim, fiz bom uso do café nas 9 vezes que o tomamos;
- Acolhimento: dois irmãos (Jonas e Rafael, acho) bastante simpáticos administram a pousada. E acredito que a senhora do café da manhã seja mãe deles. Nos sentimos meio como se estivéssemos visitando parentes.

Pontos negativos:
- Aquecimento: o aquecimento é via calefação e foi menos eficaz do que eu pensava. Funciona apenas durante a noite e às vezes esfria do nada, demora a esquentar, etc. Enfim, nos causou alguns transtornos. Nada que não dê para contornar.


Cidades

Que região fantástica! Fomos no início de junho, então estava bem frio e agradável. Estradas belíssimas, árvores com folhas avermelhadas como no outono europeu, arquitetura alemã/italiana, tranquilidade e ar puro.

Pontos positivos:
- Europa no Brasil: tanto no clima quanto na tranquilidade, na gastronomia, na aparência e nos modos dos habitantes... as cidades menores da Serra parecem cidades pequenas do interior da Europa. Caxias do Sul é a maior, e distoa um pouco dessa impressão. Mas Nova Petrópolis, Gramado e Canela são pedaços da Europa no Brasil;
- Paisagem: faz parte do estilo europeu do item anterior, mas merece uma citação individual. A paisagem do lugar é indescritível. A Mari tirou as melhores fotos das belíssimas rodovias enquanto eu dirigia. Nas curvas fechadas e no sobe e desce, me senti nas paradisíacas paisagens italianas.

Pontos negativos:
- Não consigo pensar em algum ponto realmente negativo nas cidades... talvez apenas a dificuldade para se encontrar caixas eletrônicos e tal, mas justamente por serem cidades pequenas. Eu não gostaria que fossem maiores. =P


Pontos Turísticos

Recomendo:
- Catedral de Gramado: eu não sou particularmente religioso, mas adoro visitar Igrejas com construções diferentes. A catedral de Gramado é toda de pedra e muito bonita, sobretudo por fora. Ostenta esculturas dos doze apóstolos, o que achei bem bacana;
- Catedral de Canela: também é de pedra e o forte é a iluminação, principalmente à noite. Ela alterna entre três ou quatro cores e pode ser vista de muito longe;
- Igreja San Pelegrino: essa Igreja, em Caxias do Sul, vale o passeio. Externamente, é bonita, mas normal. Agora seu interior... possui um mosaico de pinturas belíssimo no teto no melhor estilo Capela Sistina. Também conta com várias ilustrações, todas muito bem realizadas por um pintor local descendente de italianos e já falecido. Ainda conta com uma réplica enviada pelo Vaticano da Pietá de Michelangelo;
- Museu de Carros Hollywood Dream Cars: pra quem gosta de carros antigos esse museu é um prato cheio. As décadas de 40 a 60 são as melhor contempladas, com Fords e Chevrolets clássicos, que farão os amantes de cinema lembrar de filmes noir e da era de ouro de Hollywood. Há três museus do mesmo dono: este, o da Harley e o de Cera. O ingresso é meio caro (R$ 20,00 cada), mas comprando pra dois museus, ganha-se o terceiro;
- Museu de Cera: muito divertido para lembrar de artistas, personagens de filmes e personalidades famosas. De Harry Potter a Pelé, passando pelo Michael Jackson, a maior parte das representações é realista e dá oportunidade para fotos divertidas;
- Mini Mundo: uma das melhores atrações de Gramado, possui um conjunto de miniaturas de construções famosas. Castelos antigos, estações de trem, pontes e até um aeroporto, todos na escala 1/24 e construídos com base no sonho do já falecido fundador. O ingresso não é barato (acho que foi R$16,00 - todos os museus na região são particulares, então acabam sendo caros), mas vale a pena;
- Maria Fumaça: esse passeio é imperdível! Não achei tão empolgante quanto o Curitiba-Morretes-Paranaguá, mas vale o ingresso para o tour Bento Gonçalves-Garibaldi-Carlos Barbosa, que inclui a viagem, degustação de vinhos e espumantes, apresentações de música e comédia tipicamente italianas e o traslado de retorno, feito de ônibus. Ainda está incluso o ingresso para a Epopeia Italiana, uma espécie de teatro com vários cenários (no estilo Nova Jerusalém, mas em um galpão), que conta a chegada dos imigrantes italianos ao Brasil;
- Castelinho Caracol: localizado nas redondezas de Canela, a caminho do Parque Caracol. O Parque parece ser legal, mas cobra ingresso e achamos meio caro para apenas dar uma caminhada e ver uma cachoeira. Então, fomos apenas no Castelinho. Era uma casa e eles mantém os cômodos com a disposição similar ao que era quando era utilizada como residência. Cobram um ingresso meio caro, mas vale a pena por um item que comentarei na seção gastronômica;
- Lago Negro: é um parque público em Gramado, com um belo lago, que tem esse nome devido às árvores ao seu redor, trazidas da Floresta Negra na Alemanha. Há uma caminhada leve ao redor do lago, passeio de pedalinho (que não fiz) e uma lanchonete com ótimos cafés (quentes ou gelados). Vale pelo contato com a natureza e com a vegetação tipicamente europeia;
- Zoológico de Gramado: o ingresso é caro (acho que custou R$ 18,00), mas a organização do zôo, que possui apenas animais da fauna brasileira, merece a conferida. Tirei inúmeras fotos, gravei vídeo dos animais, etc.;
- Passeio pelas ruas de Gramado: Gramado é um espetáculo à parte. Caminhar pelas ruas, fazendo pausa para um chocolate quente, tem um gosto especial. Claro que eu fui no frio, que potencializa esse efeito, mas deve ser divertido na época mais quente também. A região central é lotada de lojinhas de roupas e chocolaterias. É impossível resistir a trazer chocolates para os amigos;
- Vinícola Salton: fica meio afastada, mas vale demais a visita. O prédio é belíssimo, o processo de elaboração dos variados tipos de vinho e espumante é todo explicado e a degustação é fantástica. Quem não bebe pode se contentar com o suco de uva, não menos excelente. Eu normalmente não bebo, só abro exceção para vinho mesmo. Provei de seis distintos (dois mais fortes, dois mais amenos e dois espumantes, todos excelentes) e não fiquei tonto;
- Vinícola Chateau LaCave: a degustação não tem muita graça nem o passeio, mas vale a pena para conhecer um castelo medieval, incluindo calabouço e guias vestidas à caráter;
- Rodovias: os trechos Novo Hamburgo-Nova Petrópolis, Nova Petrópolis-Gramado e Nova Petrópolis-Caxias do Sul são belíssimos. Pegamos uma forte neblina e gostaria muito de ter as fotos da Mari pra mostrar a vocês, mas já faz mais de dois meses e ela não me enviou;
- Fábrica da Tramontina: Carlos Barbosa é a sede da Tramontina e há uma loja localizada dentro da fábrica com uma variedade imensa de itens. Para quem estiver pensando em comprar panelas e afins, pode valer a pena. O preço mostrado sofre um desconto de 20 a 30%, dependendo do item. Eles entregam em todo o Brasil, mas cobram o frete (paguei R$ 50,00 para entregarem um jogo de panelas e umas coisinhas mais que comprei, pode ser melhor que carregar o peso na volta);
- Compras de calçados: Novo Hamburgo é a capital do calçado e pras mulheres que gostarem de sapatos e sandálias vale dar uma checada. Minha amiga Mari pesquisou antes e fomos a vários outlets, incluindo o da Arezzo. Na chegada a Nova Petrópolis há um outlet da Converse, fábrica do All-Star. Peguei uma promoção de 3 pares por R$ 59,90 cada e fiz a festa! =D

Não vale o esforço:
- Labirinto gigante de Nova Petrópolis: ok, estava em reforma quando fomos, mas é muito sem-graça ainda assim;
- Igreja Nossa Senhora do Caravaggio: de difícil acesso e não é bonita;
- Fábrica de chocolates da Caracol: a visitação dura no máximo 10 minutos. No máximo vale pela loja, bem diversificada e um pouco mais em conta que a da Prawer (embora o chocolate da Prawer seja superior);
- Mundo a Vapor: ingresso caro e não oferece nada muito interessante. Miniaturas de máquinas a vapor, mas... honestamente, eu que sou um homem da ciência não consegui achar muita graça. XD Não chega a ser ruim, claro, mas não valeu o ingresso (acho que custou R$ 14,00);
- Museu da Harley: só vale a pena se você gostar muito de motos ou se pegar o ingresso gratuitamente, como eu peguei. =P Há várias Harleys clássicas dentro.


Gastronomia (meus amigos vegetarianos me perdoem, ok? =P)

- Galeteria DiPaolo: Considerado o melhor galeto do Brasil pelo Guia Quatro Rodas, a DiPaolo tem várias casas na Serra Gaúcha, mas nós fomos em uma que fica na estrada entre Bento Gonçalves e Garibaldi e fica em um castelo. O atendimento é o melhor que já vi. Os garçons não deixavam acabar nenhum dos pratos e já trocavam por outro cheio. O rodízio custa 30 e poucos reais e inclui: sopa de capeletti de entrada, maionese de batatas, salada com radicchi e um azeite delicioso, polenta frita, queijo a dorê, massas (espaguete e uma recheada com abóbora, com vários molhos à disposição) e o galeto primo canto mais famoso do país (primo canto é um galeto abatido muito novo, então é minúsculo, mas muito macio). Vale cada centavo. Ah, a sobremesa é batida: pudim, sagu ou ambrosia e também está inclusa no valor;
- Pignatella: Uma descoberta impressionante! É um restaurante italiano simples e que foge ao comum - segue a culinária da região do Tirol, um dos poucos do Brasil. Fica muito escondido, perto da Vinícola Salton, cobra valor por pessoa e não há escolha de menu. Eles trazem saladas, massas, carnes, uma atrás da outra e todas deliciosas. Tem até uma massa que pede para que adivinhemos seu recheio, mas contém um item (que não vou revelar =P) com sabor forte (e que eu nunca tinha provado) e que torna difícil a real apreciação. Eu adorei ter provado, mas não sei se quero repetir, porque ficou muito forte o gosto. XD É um belo restaurante, vale a visita;
- Fondue: ir a Gramado e não comer fondue é o mesmo que ir à praia e não mergulhar! Há várias casas de fondue, oscilando entre 40 e 60 reais por pessoa. É caro, mas inclui o fondue tradicional de queijo, o de carnes e o de chocolate, com reposição infinita. XD Fomos em um lugar chamado Ratatouille, que estava com uma boa promoção para a semana dos namorados. O fondue de lá era ótimo, mas estava muito cheio e o atendimento não foi do mesmo nível;
- El Fuego: cortes de carne no estilo argentino/uruguaio, possui pratos a la carte e duas formas de rodízio, sendo uma delas válida apenas dia de semana: a mais barata (acho que era R$ 24,90) dá direito a apenas uma carne da sua escolha; e a mais cara (acho que era uns R$ 45,00) a quantas quiser da variedade completa da casa. Mas ambas as modalidades dão direito a uma salada monstruosa, polenta frita, um acompanhamento adicional (batata, cebola, tomate, todos assados), arroz branco e feijão preto. Um molho à sua escolha acompanha a carne (recomendo o chimichurri, típico uruguaio). A carne é ótima, mas os acompanhamentos que realmente fazem a diferença. Arroz e feijão impecáveis, verduras de altíssima qualidade, molhos espetaculares. Eu achei muito barato, pela quantidade de comida. Pegamos a modalidade mais barata porque não estávamos com tanta fome, mas saí de lá rolando;
- Cantina Pastasciutta: cantina tradicional. Não é tão barata e é bastanta concorrida, mas as massas dão para duas pessoas e são deliciosas. Comemos uma fantástica bolonhesa. Ah, se forem apenas duas pessoas, não recomendo que prove os antepastos (cobrados no peso) ou não conseguirão aguentar o prato principal inteiro;
- Garfo e Bombacha: churrascaria tradicional, importante para provar a famosa costela na vala. Não aproveitamos como deveríamos porque fomos no almoço e só lá descobrimos que há shows típicos no jantar, que parecem ser bem divertidos. Fica nas proximidades do Castelinho Caracol;
- Castelinho Caracol: aqui há o mais autêntico apfelstrudel. Wahhhh!!! Que coisa mais gostosa! o.O Para quem não conhece, apfelstrudel significa torta de maçã em alemão e a daqui é soberba. Recomendo que acompanhe com nata, com sorvete fica muito doce;
- Casa da Bruxa Velha: lanchonete e chocolateria da Prawer, no centro de Gramado. Tanto os chocolates quentes são divinos como os lanches salgados. Aproveito para dizer que a Prawer possui os melhores (e mais caros) chocolates da Serra Gaúcha. A loja localizada na Fábrica dá no caixa um desconto de 20% no preço exibido;
- Café da manhã colonial: infelizmente não pudemos provar, pois não sobrou um dia adequado e nosso café da manhã do hotel já era muito bom para que ainda pagássemos caro por outro café (de 30 a 40 reais, em média, mas dizem que a variedade é impressionante). Ainda assim, o Bela Vista possui o rótulo de primeiro café colonial do Brasil e promete valer o preço.


Como selecionei muitas fotos, deixei-as para o final. Lembrem-se de clicar para ampliar! =]



 As folhas de Outono nas ruas de Gramado
 Os 12 apóstolos na Catedral de Gramado
 A Catedral de Gramado
No Mini-Mundo, o Castelo de Neuschwanstein
 Várias das miniaturas do Mini-Mundo
 Eu e o Kikito, prêmio do Festival de Cinema de Gramado
 A tradicional foto na época de frio, ao lado de um dos termômetros turísticos (reparem na hora e na temperatura)
Vale vinicultor entre Farroupilha e Bento Gonçalves
 A maria-fumaça
 Eu e a Mari no trem (e ela na degustação de vinho =P)
Um senhor divertidíssimo cantando uma tarantella
 O trem visto da janela em uma curva
 Após o jantar na DiPaolo
 Querem um carro antigo?
Posando na moto =P
 Meu xará famoso =P
 Escolhendo as pedras corretas para encontrar o Santo Graal
Alô? De onde fala?
 Muito bacana essa Neytiri
 Às margens do Lago Negro
 O Lago Negro
 A Catedral de Canela
 Outro tom de cor na Catedral de Canela
 Em um dos pórticos de entrada de Nova Petrópolis
A única coisa legal do Mini-Mundo: sua fachada, imitando um acidente de trem ocorrido na França há muitos anos
É inverno nas ruas de Canela também!
 Um dos cômodos intactos do Castelinho Caracol
 O tradicional fogão do Castelinho Caracol (cozinhando apfelstrudel, claro)
 Aceitam apfelstrudel?
 Na frente do Castelinho Caracol
 Fachada da Igreja San Pellegrino, em Caxias do Sul
 Réplica da Pietà de Michelangelo em San Pellegrino
 Sintam a imponência da Igreja San Pellegrino
E um detalhe da belíssima pintura no teto
 Na entrada da Chateau LaCave
 Pra mostrar quem manda aqui! =P
 Ei, sai pra lá!
 Na frente do agradável Pignatella
 A fábrica de vinhos da Salton
 No subsolo da Salton, onde são envelhecidas as safras em barris de carvalho
Uma pintura ilustrando a fabricação do vinho no Egito antigo
 O jardim da Salton
 Um pedaço da fachada da Salton
 Na frente do El Fuego, em Gramado
 Fábrica de chocolates Caracol =P
 Um tucano simpático no Zoológico de Gramado
 Não lembro que pássaro era esse, mas achei lindo
 Outro belo exemplar da nossa fauna
 E esse é até fotogênico!
 Vai, se solta agora! Vai! XD
Exibindo seu porte atlético
 Olhar 43
 Casal nadador
 Um pinguim que passeia pelo nosso litoral sul
O bicho mais esquisito do zôo

3 comentários:

Amanda disse...

Ah, adorei! Esse pedaço da viagem parece ter sido fantástico.

As fotos que mais gostei: folhas vermelhas de outono, você com o Kikito, sua pose de bad boy em cima da moto, a Catedral de Canela, você posando de rei.

Alice disse...

Uau! Vâmos lá, minhas favoritas são: o castelo de Neuschwanstein, o termômetro, o trem visto da janela em uma curva, a pose "eu sou super cool" na moto(!!!!), a pose com Neytiri, o Lago Negro, a catedral de Canela... São tantas! Todas ótimas! XD

Gostei demais das fotos. Bateu até uma pontinha de inveja. Também quero viajar e conhecer lugares tão bonitos assim. =)

Ótimo post, sir. Você devia voltar a ter um fotolog. Hahah.

Elvis "Wolvie" disse...

Que bom que minhas fotos fizeram sucesso! E é porque a Mari não me mandou as dela, as estradas eram belíssimas e ela fotografou enquanto eu dirigia. ^^

Fotolog? Hmmm, quem sabe um Tumblr? Hehehehe.