quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Tops 2009

No último ano, expliquei aqui o processo de elaboração dos meus tops, que não vou repetir. Acessem a matéria aqui para acompanhar a evolução dos números (O top de 2007 pode ser lido aqui). Este ano fiz uma loucura: resolvi anotar todas as revistas em quadrinhos que li, incluindo o número de páginas de cada uma destas. Sei que não é uma medida acurada do tempo gasto com a leitura, porque tudo depende da complexidade da arte, da quantidade de diálogos, etc.

Sem mais delongas, vamos aos números:

- Filmes: 100 (finalmente consegui voltar às 3 casas, mas ainda preciso melhorar esse índice), dos quais 56 no cinema (consegui igualar o número do ano passado, o que é espetacular). Dos 100, 95 foram inéditos, e destes 19 ganharam 5 estrelas na minha cotação, sendo 13 no cinema. Foram 2 documentários, 3 curtas com atores e 4 em animação e 4 exibições em 3D, sendo 2 delas de Avatar (as outras de Up, e Monstros vs Alienígenas). Meta para 2010: ver 130 filmes, 50 no cinema.
- Livros: 22 (melhorei um pouco, mas estou longe do ideal), sendo 21 inéditos e 5 ganharam 5 estrelas. Meta para 2010: ler 30 livros.
- Séries: se no ano passado eu vi 269 episódios, esse ano vi 341, de séries das mais variadas (ano passado 147 destes foram de Gilmore Girls). Meta para 2010: finalmente assistir a série Lost, completa.
- Quadrinhos: li 209 revistas, totalizando absurdas 29.406 páginas!!! Uau! Não esperava chegar a tanto. Meta para 2010: passar as 30.000, claro, hehehehe.

Fiz um gráfico mostrando a evolução dos números computados desde 2005. Vejam como antes eu lia praticamente a mesma quantidade de livros do que o número de vezes em que ia ao cinema. Agora o cinema vence por mais do que o dobro.

(evolução dos números ao longo dos anos)

Sem mais delongas, deixo-os com os tops do ano e alguns pequenos comentários sobre eles.


TOP Quadrinhos 2009

Menções Honrosas: Bleach, Thor e D.Gray-Man.
Bleach conta a história de um jovem que vê espíritos e se descobre possuidor de uma assombrosa quantidade de energia espiritual, tornando-se assim um shinigami, uma espécie de soldado do mundo espiritual, que combate os espíritos perdidos (ou hollows), que devoram outros espíritos. O mangá já está em uma fase avançada no Brasil, e merece a menção pelos personagens complexos e originais, pelas batalhas desafiadoras, pela tensão imposta pela narrativa e pelo carisma dos protagonistas.
Thor é publicado no Brasil na revista Os Novos Vingadores. Confesso que eu estava apreensivo com essa nova série do ótimo J. Michael Straczynski, pela decisão de levar Asgard para a Terra. Mas ele não desapontou. A arte de Olivier Coipel se adequa perfeitamente ao tom necessário para as histórias do deus nórdico. Thor renasceu após o Ragnarok, recriou um pedaço de Asgard na Terra, flutuando em cima de um deserto no meio dos EUA, e despertou os asgardianos pouco a pouco, aprisionados em corpos mortais. Além dessa mudança, Loki, seu meio-irmão pérfido, agora está em um corpo de mulher. Na última edição lançada no Brasil, finalmente descobrimos o porquê dessa mudança de gênero e... é tão impactante que já garantiria o lugar nesse top.
D.Gray-Man conta a história de exorcistas, guerreiros que são os portadores de um dom (a Innocence) e que lutam contra os akumas, a versão desse mangá para os hollows de Bleach. Apesar da premissa soar similar, a narrativa não poderia ser mais distinta. Essa série me impressiona fortemente pelo senso de urgência. É normal que mangakás gastem tempo desenvolvendo os personagens, depois entrem em longas sagas e só então surja um clímax que aproxima a série de seu encerramento. Pois D.Gray-Man parece prestes a chegar ao fim o tempo inteiro, e sei que ela ainda está sendo lançada no Japão, por isso anseio por continuar lendo.

5. X-Factor
Peter David vem fazendo um trabalho excelente em X-Factor e, apesar de ter caído um pouco nos últimos números, foi espetacular no início do ano, sobretudo na viagem ao futuro de Jamie Madrox e Layla Miller, a garota que sabe das coisas. Layla é para mim uma das personagens mais geniais dos últimos anos nos quadrinhos da Marvel. Sou completamente apaixonado por essa personalidade incrível. Já li alguns spoilers do que vem em 2010 para o X-Factor e Layla promete voltar com tudo!

4. Capitão América
Poucas tramas foram/são tão bem conduzidas quanto o Capitão de Ed Brubaker. Desde a primeira edição até a atual 45 (no Brasil), tudo parece ter sido planejado e sutilmente conduzido para um determinado ponto, que parece próximo. Tenho medo da qualidade cair caso a trama emaranhada chegue a um fim. Importante ressaltar: Bucky é um protagonista ainda melhor que Steve Rogers, embora não seja um Capitão América à sua altura. Mas o personagem é muito mais complexo, e Natasha Romanoff certamente é mais interessante como parceira que Sharon Carter (não que eu não goste dessa).

3. Hunter X Hunter
Guiado pelo sucesso de Yu Yu Hakusho, Yoshihiro Togashi criou uma série ainda superior para substituí-la. Hunter X Hunter conta a história, a princípio simples, de Gon, um garoto que sai pelo mundo em busca de seu pai. Aos poucos a trama vai evoluindo até chegar a um ápice que parece difícil de ser superado: os volumes ambientados no Greed Island, uma espécie de jogo criado pelo pai de Gon, no qual os jogadores são transportados para dentro dele. Em seguida teve início um novo arco, não tão promissor, sobre uma espécie de formiga que desenvolve suas crias com base nas presas. Essa se alimenta de humanos, então suas crias são do tamanho destes, e vão ficando mais e mais resistentes.

2. Honey & Clover
Apesar de apenas 4 volumes terem sido publicados desse mangá da Chika Umino, o título me conquistou de tal forma que não consigo aceitar a idéia dela vir a ser encerrada na edição 10. Centrada em 5 personagens igualmente brilhantes, todos universitários estudantes de arte, enquanto estes formam complicados triângulos amorosos, seguem o rumo de suas vidas e criam laços inquebráveis. Meu personagem favorito é Takemoto, e torço para que ele possa ficar com a Hagu no final, hehehe. ^____^ Decididamente, meu gênero favorito de quadrinhos é o adulto de relacionamentos, provado pelo favorito de todos os tempos Estranhos no Paraíso, por Honey & Clover e pelo vencedor desse ranking.

(os cinco estudantes protagonistas de Honey & Clover)

1. Nana
Nana, mangá criado pela japonesa Ai Yazawa, conta a história de duas garotas chamadas Nana: as personagens são tão complexas e bem estruturadas que torna-se até difícil resumi-las. Não vou falar muito dessa série que me emociona a cada volume, mas dou a dica: para quem prefere assistir, o anime é igualmente excelente (e vai até o volume 12 do mangá - uma segunda temporada está prometida para quando da conclusão da série em quadrinhos, atualmente no volume 21), e ainda conta com músicas contagiantes. Arrisco dizer que deve ocupar essa mesma posição em 2010, a não ser que algo bombástico ocorra em outra série para mudar tanto a minha opinião.

(Nana Komatsu e Nana Oosaki)


Top Séries 2009

Menções Honrosas: True Blood, The Big Bang Theory e Fringe.
True Blood merece estar aqui pelo ritmo alucinante imposto na série, cujos 12 capítulos por temporada se desenrolam em uma única sequência de acontecimentos que deixam o espectador com altos níveis de adrenalina e ansioso pela continuação. As duas temporadas são igualmente chocantes, e constroem um clima de tensão que só é aliviado no episódio final. Discordo de alguns pontos da mitologia vampírica proposta pela série, mas são detalhes mínimos perto da riqueza narrativa da série que tem os melhores cliffhangers.
Não sou exatamente apreciador de comédias, mas uma sitcom focada em nerds... é simplesmente imperdível! Os cinco personagens principais de The Big Bang Theory são ótimos, com destaque máximo, claro, para o Sheldon de Jim Parsons, uma figura absurdamente irritante, mas consistentemente tridimensional e bem composta. É simplesmente inaceitável que o ator ainda não tenha sido contemplado com prêmios por seu desempenho ímpar.
Fringe é uma série espetacular e que deveria estar ocupando a terceira posição desse Top, se não fosse por um grave problema: seu estilo “monstro da semana”. Entendo que seja mais simples conduzir séries episódicas, afinal reduzir a ligação entre os episódios reduz também os custos, e a necessidade de manter os coadjuvantes e os cenários sempre preparados. Contudo, a série peca ao seguir essa fórmula e se distanciar de algo realmente sequencial, como Dexter ou True Blood. Foi por essa razão que deixei de ver desenhos animados americanos, afinal cada capítulo era isolado, enquanto em boa parte dos japoneses há grandes sagas, com episódios conectados. Por essa razão também eu passei a ler quadrinhos da Marvel e larguei os Disney. A sensação de continuidade me conquistou. Fringe tem uma premissa genial e personagens extremamente criativos, mas o fato de ser episódica prejudica sutilmente o resultado final, já que eventualmente oferece episódios medianos.

3. Nodame Cantabile
Apesar de eu ter assistido em 2009 apenas os episódios finais da segunda temporada, esse anime conquistou a terceira posição do Top, graças à delicadeza de sua narrativa e aos deliciosos personagens principais. Ver Nodame ao piano é... indescritível! Falei um pouco sobre a primeira temporada aqui.

2. Dexter
A série mais consistente da atualidade conseguiu o que parecia impossível: em sua quarta temporada, foi ainda melhor do que nas três anteriores. Com a história do assassino Trinity, brilhantemente trazido à vida por John Litgow, o serial killer favorito de todos nós amadureceu, e concluiu um arco temático de maneira brutal e irreversível na última cena. E agora? Como os roteiristas poderiam superar essa magnífica temporada?

1. A Sete Palmos (Six Feet Under)
Pode não ser uma série atual, mas vi seus 63 excelentes episódios em 2009, e... uau! Que série! Não me lembro de ter visto uma reflexão tão adequada sobre vida e morte antes. Contando com um elenco simplesmente impecável, a história da família Fisher é carregada de drama, e cada episódio se inicia com uma morte em diferente estilo. Os dez minutos finais conseguem gerar uma apoteose ímpar para essa série estupenda. Recomendo!

(elenco da excepcional série da HBO)



Top Livros 2009

Menções Honrosas: Robinson Crusoe, É Fácil Matar, Sherlock Holmes - Volume I e Einstein: Os 100 Anos da Teoria da Relatividade.
Robinson Crusoe, de Daniel Dafoe, é um clássico extremamente copiado e adaptado. Eu conhecia a história por cima, mas me impressionei com a riqueza de detalhes. Tem tudo para ser um livro enfadonho, já que enfoca em boa parte do seu tempo as agruras do protagonista enquanto este está sozinho em uma ilha deserta (sim, se vocês lembraram de Tom Hanks em O Náufrago, saibam que não chega nem perto da solidão de Crusoe), contudo... não é. Fiquei fascinado com a criatividade do personagem para sobreviver em uma situação como essa (e me lembrei imediatamente de A Lagoa Azul em algumas passagens), e de como o livro foi relativamente original sobre o assunto quando de seu lançamento.
Após passar um ano sem livros da Agatha Christie, li É Fácil Matar em 2009. Não parece haver livros ruims da Dama do Crime. Esta é mais uma de suas histórias ambientadas em pitorescas cidadezinhas do interior da Inglaterra, sem o auxílio de Hercule Poirot para desvendar o mistério. Sinto que está chegando o momento de criar coragem para comprar seus livros avassaladoramente e começar a montar minha coleção completa desta maravilhosa autora. Hoje tenho apenas 6, mas devo ter lido por volta de 30. São mais de 80.
Já que falamos da Dama do Crime, como não falar de seu predecessor Sir Arthur Conan Doyle, que criou o célebre Sherlock Holmes. Se seus mistérios não se comparam em complexidade àqueles desvendados por Poirot e Miss Marple, o personagem lendário talvez seja mais bem construído que aqueles (apesar de eu preferir imensamente as maneiras e métodos do belga), e a tenacidade com que desvenda seus crimes simplesmente utilizando a lógica e um pouco de conhecimentos gerais... é impressionante. No primeiro de três volumes, são compiladas as obras Um Estudo em Vermelho, O Sinal dos Quatro e As Aventuras de Sherlock Holmes (este eu já havia lido, mas fiz questão de reler para seguir a continuidade).
Albert Einstein foi uma personalidade tão importante para o desenvolvimento da física contemporânea que talvez seja o cientista mais lembrado por aqueles não afeitos à área, o mais carismático de todos. O livro de Andrew Robinson, além de traçar um excelente perfil biográfico do alemão que redigiu a Teoria da Relatividade, faz um resumo objetivo, embora claro e completo, de suas descobertas científicas. Acompanhado de imagens da vida do físico e de artigos de nomes como Arthur C. Clarke e Stephen Hawking, vale a pena conhecer mais sobre a Personalidade do Século XX, de acordo com a revista Time.

5. A História sem Fim, de Michael Ende
Escrevi um pequeno comentário sobre o livro aqui.

4. Irmã do Meu Coração, de Chitra Divakaruni
Escrevi sobre Irmã do Meu Coração no segundo volume do jornalzinho A Toca do Lobo, que pode ser lido aqui.

3. O Castelo no Ar, de Diana Wynne Jones
Escrevi brevemente sobre O Castelo no Ar aqui.

2. House of Many Ways, de Diana Wynne Jones
Terceiro livro ambientado no mesmo universo diegético (veja os itens 3 e 1 do Top para descobrir quais são os outros 2), conta a história da garota Charmain Baker (sim, seu sobrenome é uma referência aos padeiros, a profissão de seu pai), uma jovem ávida por leitura que acaba tendo que cuidar da casa do Mago Real, um lugar com portas para os mais variados lugares (vem daí o título do livro). Conforme os fatos se desenrolam, Charmain conhece os personagens conhecidos dos fãs dO Castelo Animado e tem que desvendar um mistério sobre um Presente dos Elfos.

(capa do livro)

1. O Castelo Animado, de Diana Wynne Jones
Escrevi brevemente sobre O Castelo Animado aqui.
Acrescento que fiquei apaixonado pela literatura da Diana Wynne Jones, sobretudo pelos personagens cativantes e pelas histórias de fantasia, um de meus gêneros favoritos. Não é à toa que quatro dos 5 membros desse top sejam do gênero.

(Sophie e Howl, protagonistas de O Castelo Animado, na versão animada do Estúdio Ghibli)



Top Cinema 2009

Menções Honrosas: Presságio, Rebobine, Por Favor e Bolt.
Escrevi sobre Presságio aqui.
O trabalho de Michel Gondry como diretor e co-roteirista de Brilho Eterno de Uma Mente sem Lembranças o credenciou para sempre na lista de diretores a se acompanhar. E dificilmente ele superará essa obra prima, importante frisar. Não sou muito fã de comédia, mas Jack Black ainda consegue me divertir, além de ser extremamente carismático. Assim, esperei um bom tempo pela estréia do filme Rebobine, Por Favor, de Gondry estrelado por Black. A premissa é interessante: Jerry (Black) apaga com um efeito magnético todos os VHS's da locadora do sr. Fletcher (Danny Glover). Assim, ele e Mike (Mos Def) precisam reencenar alguns longas para que a senhorita Falewicz (Mia Farrow) possa alugar. Eles criam o termo suecar para essa idéia, que se tornou uma febre Internet afora, fazendo mais sucesso que o próprio filme em si. Apesar de ter alguns problemas narrativos, as regravações hilárias de clássicos oitentistas valem o tempo do espectador.
Escrevi sobre Bolt aqui.

(Jack Black e Mos Def)

10. Harry Potter e O Enigma do Príncipe
Escrevi sobre Harry Potter no segundo volume do jornalzinho A Toca do Lobo, que pode ser lido aqui.

09. Terra
Escrevi um pouco sobre Terra aqui.

08. Up
Escrevi brevemente sobre Up aqui.

07. A Troca
Escrevi sobre o filme aqui.

06. O Leitor
Escrevi sobre o filme aqui.

05. Para Sempre Te Amarei
O título original, The Time Traveler's Wife, poderia perfeitamente ter sido traduzido como A Esposa do Viajante do Tempo. Contudo, provavelmente por receio de perder público feminino ao citar abertamente um conceito de ficção científica, os tradutores decidiram escolher esse título ridículo. A premissa é interessante o suficiente para gerar um clássico: um homem sofre de um distúrbio genético único: em determinados momentos de stress e tensão, ele se desloca pelo tempo, para o passado e o futuro (não distantes, normalmente em épocas do decorrer de sua vida), perdendo no processo suas roupas. Misture a essa idéia de ficção científica um romance com uma garota da qual ele acompanha várias etapas da vida, e temos um filme excelente para ser apreciado por nerds românticos, como é o meu caso. Se você não é nerd, você pode se perder na confusão causada pelos saltos temporais (minha mãe se perdeu um pouco =P) e se você não é romântico, definitivamente vai achar o filme enfadonho. Eric Bana está ótimo, como de costume, e a belíssima Rachel McAdams faz uma das personagens mais interessantes do ano, uma mulher perdidamente apaixonada, mas que não parece ter tido escolha para seguir esse rumo em sua vida. Quem vem primeiro? O ovo ou a galinha? Recomendo fortemente esse longa.

(cartaz do romance sci-fi)

04. Uma Prova de Amor
Escrevi brevemente sobre Uma Prova de Amor aqui.

(Sofia Vassilieva interpretando a leucêmica Kate)

03. Watchmen
Escrevi sobre Watchmen (quadrinhos e filme) aqui.

02. (500) Dias com Ela
Não sei como não escrevi sobre esse filme ainda. Ah, eu sei sim: culpa da correria dos empregos, mudança, etc. Tive a oportunidade de assisti-lo no Festival Internacional de Cinema de Brasília, apesar do mesmo também ter entrado em circuito nacional na mesma época. Tom (Joseph Gordon-Levitt), um arquiteto frustrado que trabalha escrevendo textos para cartões festivos, conhece Summer (a encantadora Zooey Deschanel), que consegue uma vaga como secretária na mesma empresa. Aos poucos os dois vão se envolvendo, e ela avisa que não acredita no amor, mas mesmo assim Tom não consegue evitar de se apaixonar, muito menos consegue evitar de sofrer quando ela o deixa (o filme se inicia com essa cena, por isso não é spoiler =P). Assim como Tom, não consegui deixar de me identificar fortemente com sua situação, já que eu consigo me imaginar passando por algo semelhante. Apesar de tudo, em nenhum momento temos raiva das atitudes de Summer, já que ela sempre foi sincera e que as justifica conforme o filme avança. Apesar do elenco de apoio não ser forte, a história de Tom e a forma como foi narrada pelo diretor Marc Webb me tocou o suficiente para conquistar o segundo lugar do Top.

(Summer e Tom)

01. Avatar
Escrevi sobre Avatar aqui.



Top Filmes Geral 2009

Menções Honrosas: Milk, Terra, Harry Potter e O Enigma do Príncipe e Um Ato de Liberdade.
Escrevi sobre Milk aqui.
Sobre Terra e Harry Potter, vide acima.
Escrevi sobre Um Ato de Liberdade aqui.

10. Up
Vide acima.

09. A Troca
Vide acima.

08. O Leitor
Vide acima.

07. Para Sempre Te Amarei
Vide acima.

06. Uma Prova de Amor
Vide acima.

05. Quem quer ser um Milionário?
Escrevi sobre o filme aqui.

04. Watchmen
Vide acima.

03. O Visitante
Escrevi sobre o filme aqui.

02. (500) Dias com Ela
Vide acima.

(Tom e Summer, o casal do ano)

01. Avatar
Precisa dizer algo? Vide acima. Avatar decididamente me cativou. Já revi o longa, e talvez ainda o veja mais uma vez daqui a algumas semanas. James Cameron conseguiu. Estou desesperado para: 1) Ver a continuação; 2) Morar em Pandora.

(A bela Neytiri)


Feliz 2010 a todos!

7 comentários:

Denise do Egito disse...

Elvis, fiquei impressionada com seu levantamento!!! =O
Meu Deus, que dedicação! =D

Não sei quantos filmes eu assisti em 2009, mas foram muitos, inclusive quase todos que vc citou. Concordo que A troca, O leitor, Uma prova de amor e Quem quer ser milionário são ótimos filmes. Acrescentaria O curioso caso de Benjamin Button, bem original. Por já ter visto muito mais filmes que vc (se compararmos a nossa idade), diria que (500) Dias com ela é o mais fraco de todos e nem entraria na minha lista.

Um filme leve, cativante e divertido que entraria na minha lista seria Rindo à toda, com a linda Sophie Marceau, vc viu ?
Traça um verdadeiro painel da juventude de classe média de Paris nos dias atuais e de seus questionamentos, dúvidas, sofrimentos por amor, todas esses sentimentos que, mesmo num país distante e de 1º mundo, se mostram tão universais.

Um beijo e feliz 2010!!!!!!!!!!!

Elvis "Wolvie" disse...

Eu não gostei tanto de O Curioso Caso de Benjamin Button quanto você, Denise. ^^ Digo, a idéia é muito interessante, adoro o David Fincher, o Brad e a Cate... tinha tudo para ser um filmaço. Mas... ele simplesmente não me cativou. Não consegui me emocionar com a história, nem torcer pelo casal de protagonistas.

É possível que (500) Dias com Ela seja inferior ao status ao qual o alcei, mas me identifiquei tanto com o protagonista... eu não sei ser imparcial, e o filme me tocou profundamente. =P Eis as razões dele estar aí, hehehehe.

Nem assisti Rindo à Toa. =O Na verdade, nem lembro de vê-lo pelos cinemas. Mas pela sua descrição parece promissor. =]

Feliz 2010!!! =D

Paula disse...

Concordo com Denise: quanta dedicação!! :D

Parabéns Elvis.

A sua meta para séries de 2010 é mara, você nem de longe vai se arrepender.

Beijos!!

alex marques disse...

Olá Elvis, depois de um tempo longe estou de volta!!

Desejo a você um 2010 abençoado e cheio de alegria, saúde e paz!! Muitos episódios de séries, filmes e livros ótimos pra você!!

A média de episódio das séries subiu bastante heim!! Nso quadrinhos eu já esperava "nana" no topo da lista, impressionante a quantidade de páginas lidas!! Parabéns!!

Six feet.. ganhar de Dexter realmente me surprendeu... vou colocar na miha lista pra 2010! Já tenho todo lá em casa!!

Li pouco em 2009.. talvez por ter dedicado muito do meu tempo À leitura da Bíblia o que eu não fazia há tempos.

Dos filmes que você citou vi poucos mas certamente "500 dias com ela" estaria no meu top 10, infelizmente este ano não anotei os meus filmes vistos, aliás eu não anotei nada!

Parabéns pelo seu trabalho de anotar tudo.. queria ser tão organizado assim!

Ah!! Finalmente verás LOST!!! Eu estava até interessado em ver FRINGE mas definitivamente não gosto de séries tipo "monstro da semana" que o diga Supernatural" que há tempos deixei de acompanhar.

Elvis "Wolvie" disse...

Olá, Alex! =D

Bem, mesmo Fringe sendo "monstro da semana", a trama é muito bem elaborada e o trio de protagonistas é nada menos que fabuloso! A série lhe deixa ansioso. Se fosse uma série da TV paga americana, como Dexter ou True Blood, e seguisse o estilo 12 capítulos corridos, seria mais interessante, penso.

E realmente veja Six Feet Under, é fabuloso. Tem um ritmo mais lento que séries como Dexter, mas nenhuma série tem um elenco tão perfeito. Os 5 personagens principais são excepcionais! Fora uns 3 ou 4 muito importantes, também bons, mas inferiores a estes. Veja!

alex marques disse...

Grande Elvis.. acabo de ver o Season Finalle da primeira temporada de FRINGE.. realmente não me decepcionei em nada, embora seja um formato que ão gosto(como comentado anteriormente) a traman é bem elaborada nos prende.

Tô colocando as coisas em dia e irei comentar no proximo post.. meus planos são de ver a segunda temporada de FRINGE que está em andamento e passar a ver "SIX FEET", além de continuar acompanhando mais uma dezena de séries!

Aguardando pelos comentários das temporadas de LOST... minha noiva está vendo, começou a quarta temporada e por vezes me pego revendo os episódios com ela.

Ei, meu casamento já tem data marcada: será dia 08 de janeiro de 2011. Se voce pudesse vir eu ficaria muito feliz!

Um abraço e até mais!

Elvis "Wolvie" disse...

Alex, desculpe minha demora para responder. =/ A vida anda corrida, mas guardei seu comentário no e-mail e estava esperando uma brecha, hehehe.

Fringe é realmente legal, a segunda temporada tem alguns episódios excelentes! =D Mas concordo com você acerca do formato.

Falta pouco mais de uma semana para o Oscar e então começarei a ver Lost, hehehe.

8 de Janeiro? =O Vai ser em Campina ou em Paulo Afonso?